Bomfim: Inovando a 6 décadas, você em primeiro lugar

A Empresa Senhor do Bomfim marcou época e ajudou no desenvolvimento do seu estado de origem, o Sergipe. Ela nasceu modesta, cresceu e se tornou uma empresa com forte marca de identificação com a população dos estados que atende. Um pouco da história da grandiosa Bomfim que será eterna na cabeça de quem a ajudou a crescer e no passageiro sempre bem tratado pela empresa.

Tudo começou na década de 40…

Com uma frota constituída de 22 marinetes (ônibus com bagageiro no teto,motor dianteiro e com 20 poltronas tipo metropolitana, que, frequentemente, quebravam em função das péssimas condições da estrada), a Expresso Senhor do Bomfim surgia no inicio da década 40 para transportar cidadãos aracajuanos para os emergentes municípios sergipanos, como Propriá, Tobias Barreto, Itabaiana e Lagarto.

A operação da empresa era muito complicada, as estradas em péssimas condições tiravam o conforto da já não muito confortável marinete, que se agravava ainda mais com as frequentes quebras e a demora nas viagens. Era fácil perder passageiros para as concorrentes pau-de-arara que nas condições viárias da época eram mais eficientes ao trafegar por essas estradas.
Diante dos problemas operacionais, o seu fundador Marinho Tavares se viu sem dinheiro para recuperar ônibus e manter a empresa em funcionamento levando a BOMFIM a quase falência. A partir dos dificeis tempos passados que entra o senhor José Lauro da Silva entra na história da grande virada dada a empresa. José, jovem empreendedor com 18 anos casou-se com Gilza, filha de um importante comerciante de Itabaiana, Oviêdo Texeira que vem a ser primo do proprietário da empresa BOMFIM, Marinho Tavares.
Oviêdo, aconselhou o seu genro a adquirir as marinetes da sucateada Expresso Senhor do Bomfim, José visionário acatou a sugestão, adquiriu a empresa e tocou seu negócio. Assim em 24 de fevereiro de 1960 é inaugurada a Empresa Senhor Bomfim, operando inicialmente as linhas Aracaju/Propriá, Aracaju/Neópolis e Aracaju/Brejo Grande. Nesse mesmo ano as desconfortáveis marinetes foram substituídas por 3 novos e modernos ônibus, com bagageiro na parte inferior e poltronas reclináveis. Pouco tempo depois, a empresa Senhor do Bomfim, adquiriu a empresa Jordão, passando assim a operar além das fronteiras sergipanas e chegando a Salvador através da linha Aracaju / Salvador. José Lauro também tratou de aparelhar a oficina mecânica e apurar a manutenção, a fim de garantir maior longevidade para a frota e menos quebras nas estradas. Para assegurar o cumprimento de seus itinerários, a empresa colocou seis tratores ao longo das estradas, com os quais se podia romper qualquer barreira. Buracos, atoleiros e troncos de árvores caídos eram muito comuns.

Tido por muitos como louco, José Lauro chegou a desdobrar-se nos papéis de varredor, manobreiro, revisor e mecânico. Em meio a tanto esforço e dedicação, o empresário introduziu o conceito que marcou toda a história da empresa: A Bomfim não transporta passageiros, mas clientes, enfatizando a necessidade de transportar pessoas com o máximo de conforto e segurança possíveis.
Em 1961 a Bomfim aumentou ainda mais as áreas com seu atendimento depois da aquisição da Expresso Santo Antonio (chegando aos municipios de Itabaianinha e Tobias Barreto), da Viação Nossa Senhora das Graças de Itabaianinha e da empresa São Paulo de Frei Paulo chegando dessa vez as cidades baianas de Jeremoabo e Paulo Afonso.
Em 1963, aconteceu a investida mais ousada, incorporando a O. Macêdo, que dispunha de 27 viaturas. Após essas incorporações, vários outros investimentos ousados se deram. Constantemente renovando a frota, a empresa saiu na frente adquirindo veículos de última geração e top de linha.
Em 1964, Sergipe conheceu o maior temporal de sua história, enfrentando 360 dias consecutivos de chuva, por água abaixo foi ponte de Itaporanga, o único acesso para o resto do país. A Bomfim passou a transportar sob baldeação. Um ônibus conduzia os passageiros até a ponte, que atravessavam o rio de canoa, embarcando, depois, em outro ônibus que aguardava no final da travessia.

Em 1965, a empresa inaugurou seu primeiro Parque Rodoviário, estrutura que centralizou em um só local a garagem e os setores administrativo e de serviços.
No ano de 1967, antes mesmo do surgimento das BRs, inaugurou o serviço leito em Sergipe. Neste mesmo ano comprou a frota da Nogueiras e implantou a linha Aracaju/Itabuna, atento às notícias que chegavam do Sul da Bahia, dando conta da existência de um produto agrícola que multiplicava riquezas, atraindo milhares de sergipanos que partiam em busca de sorte para a “terra do cacau”. No mesmo ano trouxe o primeiro Ônibus Leito a solo sergipano. “Naquele tempo, ninguém acreditava que pudesse existir um ônibus com uma cama dentro”, ressalta.
Em 1968, a empresa foi pioneira ao colocar seus ônibus em balsas que interligavam os estados de Sergipe e Alagoas e inaugurar a linha Aracaju / Maceió.
Em 1977 foi inaugurado o primeiro serviço executivo que culminou no surgimento do serviço Top Class (os ônibus top de linha, que prestam um serviço 5 Estrelas, símbolo do Padrão de Qualidade Bomfim). Com o Top Class, já nos anos 90, surgiram as “Salas de Atendimento ao Cliente e as Salas Vip”, distribuídas pelos principais terminais rodoviários incluídos nos itinerários da Bomfim.

  • GRUPO BOMFIM EM OUTROS SEGMENTOS

HOLDING URBANA
BOMFIM URBANA

José Lauro começou a ampliar seus negócios na área de transportes em 1972, quando o então prefeito de Aracaju, o economista Aloísio de Campos, decidiu abrir concorrência pública para a exploração do transporte urbano, tendo em vista a substituição do deficitário sistema Kombi Auto-Lotação. Os kombeiros se levantaram em violentos protestos. Inútil, o processo foi até o final, vencendo o certame licitatório a Empresa Senhor do Bomfim. Em 20 de abril, nasceu a “Bomfim Urbana”, operando, inicialmente, com 20 ônibus, ampliando a frota, em apenas dois anos, para mais de 80 unidades.
VIAÇÃO SÃO PEDRO SERGIPE E SALVADOR

A empresa foi criada em 1978 para operar exclusivamente no transporte urbano de Aracaju, herdando a frota, as linhas e a estrutura da Bomfim Urbana. Em 1994, uma concorrência aberta pela então prefeita de Salvador, Lídice da Mata, escolheu a empresa do grupo Bomfim para operar as linhas da Estação Pirajá.

  • DIVISÃO DO GRUPO

Na longa caminhada de mais de 40 anos, José Lauro faz questão de reconhecer o decisivo apoio dos irmãos. Luciano ocupava o cargo de vice-presidente da Bomfim Interestadual. Laelson geria a Bomfim Urbana. Ainda participavam o mais velho, Luís, e o caçula, Liomar, respondendo pelas linhas intermunicipais. “A participação deles foi importantíssima para que a Bomfim conseguisse se consolidar, eu sou eternamente grato”.

BARRAMAR

Em 1986, José Lauro tomou uma decisão sintomática, num gesto indicativo de que ele começava a gestar a própria sucessão. Delegou ao filho Lauro Antônio, conhecido como Laurinho, à época com 26 anos, a gestão da Viação São Pedro. Ele havia se destacado na condução administrativa da Fazenda Boa Luz quando, com apenas 20 anos de idade, criou o Haras Boa Luz e os Leilões da raça Mangalarga Marchador, que ganharam projeção nacional.

SANTAMARIA

Dez anos mais tarde, quando a Bomfim se aproximava dos 36 anos de estrada, José Lauro reuniu os irmãos e decidiu que era o momento de cada um seguir o próprio itinerário, promovendo a cisão do grupo. Liomar e Luís, por conveniência, retornaram à atividade agropecuária. Laelson criou a Rota Sul, operando linhas intermunicipais em Sergipe. Luciano fundou a SantaMaria atuando, também, no transporte intermunicipal. Ainda surgiu a Barramar, empresa urbana de Salvador, que resultou da cessão de parte da frota da São Pedro na capital baiana para Laelson e Luciano. “Chega um momento em que a família cresce, aparecem netos, sobrinhos, e aí é a hora de cada um seguir seu caminho”, justifica o pioneiro.

ROTASUL

EMPRESAS URBANAS  DO GRUPO QUE FORAM EXTINTAS

Este slideshow necessita de JavaScript.

  • FROTA DA BOMFIM POR DÉCADAS

DÉCADA DE 80

Ônibus cada vez mais modernos foram sendo incorporados a frota da Bomfim. Destaque para os veiculos com carroceria Marcopolo e Ciferal com motorização Mercedes-Benz.

DECADA DE 90

Durante a década de 90 ocorreram grande evoluções na frota da Empresa Senhor do Bomfim, quando foram adquiridos o que havia mais moderno, inovador e confortável na época. Novos serviços foram lançados, novos ônibus com as carrocerias Marcopolo e Busscar trazidos.

 ANOS 2000

No inicio do novo milênio, a BOMFIM apresentou uma grande novidade para seus clientes quando foram adquiridas os primeiros ônibus double deck da empresa com a carroceria Panoramico DD da Busscar. Nesse mesmo período foram adquiridos ônibus com a carroceria Marcopolo com motorização Volksbus traseiro e novos dianteiros com a carroceria Neobus e Mascarello com motorização Volksbus. Pouco antes de fazer 60 anos de funcionamento a empresa investiu na modernização de seu layout, contratando a empresa Design Losung para atualizar a marca do pioneirismo da BOMFIM, neste período foram adquiridos os primeiros ônibus da empresa com a carroceria Comil e chassi Volksbus traseiro.

 A PARTIR DE 2011

O ano de 2011 marcou o retorno da encarroçadora Marcopolo e do chassi Mercedes-Benz para a renovação de frota da empresa, depois de 2 anos adquirindo carrocerias da Comil e chassi Volksbus.

FIM DO GRUPO BOMFIM?

Passados mais de 6 décadas de sua inauguração, o que teria ocorrido para o Grupo Bomfim estar fechando empresas e entregando linhas?
Uma grande crise atingiu as empresas urbanas Viação Cidade de Aracaju e São Cristóvão que culminaram no fim das mesmas. Tempos depois foi a vez da Viação Cidade Histórica ser fechada e na sequencia foram entregues a prefeitura de Salvador as linhas que a empresa Barramar operava na capital baiana. Agora a bola da vez são as linhas interestaduais da Bomfim que foram entregues as empresas Rota e Águia Branca.
Funcionários da empresa garantem que apesar da entrega das linhas interestaduais a empresa Bomfim continuará funcionando no estado de Sergipe, realizando turismo e fretamento.
Independente se a história desse grande grupo esta chegando ao fim o povo alagoano, baiano e sergipano aplaudem o exemplo de superação e inovação que o grupo trilhou em todos esses anos de existência. A Empresa Senhor do Bomfim sai das linhas interestaduais da mesma maneira que deixou as linhas urbanas de Salvador, com dignidade e deixando saudades em quem colaborou e em quem utilizou de seus serviços.
Reportagem de Gênesis Freitas, com informações  do SETRANSP ARACAJU, ENCICLOPÉDIA BUS E REVISTA DA NTU.

Fotos: Empresa Senhor do Bomfim, Acervo CFO SERGIPE (José Franca Neto, Edcarlos Santos Rodrigues), CamaçariBus/Urbaianos (Junior Rios, Gabriel Santos, Eleilton Oliveira)

REALIZAÇÃO:

Sem Título-3

blog banner 1

Cbus

Anúncios

4 comentários em “Bomfim: Inovando a 6 décadas, você em primeiro lugar

  1. Gostei dessa matéria admirava a Bomfim empresa essa agora Eternizada pelas fotos e sempre Lembrada de geração por geração! e quem ver as fotos e história que deixou a Bomfim Vai ver a experiência e determinação e acreditar em um sonho que é possível mesmo que um dia ele se acabe, mais tentar nos dar a possibilidade de vencer. e viver o momento presente , o hoje por que o amanhã não sabemos se vamos acordar e abrir os olhos, Tudo tem o seu tempo nessa vida!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s