11863368_819468971481778_4691890611047283372_nPrestes a completar 30 anos de criação o SIT – Sistema Integrado de Transporte é 100% conectado, abrangendo uma área de 181.857 km² (IBGE 2015), englobando também os municípios da Região Metropolitana de Aracaju (Lei Complementar Nº 25, De 29 de Dezembro de 1995), os quais são eles: São Cristóvão com 86.979 habitantes, Nossa Senhora do Socorro com 177.344 habitantes e Barra dos Coqueiros com 28.677 habitantes (Dados IBGE 2015).

100_0943

Em Aracaju, o ônibus é o principal meio de transporte público utilizado por seus habitantes, mais de 600 mil numa das menores capitais do nordeste. Além do transporte público feito por ônibus, a cidade possui o serviço de táxi lotação, que representa um pequeno percentual se comparado a todo o sistema integrado de transporte coletivo da cidade e região metropolitana. Ainda como transporte público da região metropolitana, existe a locomoção por barco, que liga a cidade de Aracaju à Barra dos Coqueiros e vice versa, transporte popularmente conhecido como Tototó, que perdeu força no ano de 2006, quando foi inaugurada em setembro do mesmo ano a Ponte Construtor João Alves Filho, responsável por ligar Aracaju à Barra dos Coqueiros, assim o transporte de passageiros passou a ser realizado também por ônibus. Em 2007, o sistema integrado de transporte público coletivo de Aracaju passou a integrar uma nova cidade, a Barra dos Coqueiros, o qual já contemplava na época as cidade de Nossa Senhora do Socorro e São Cristóvão.

No ano de 2014 a frota de Aracaju passou por uma maciça renovação.
No ano de 2014 a frota de Aracaju passou por uma maciça renovação.

A integração do sistema é feita através de terminais, onde os passageiros podem descer de um coletivo e pegar qualquer outro sem a necessidade do pagamento de nova tarifa. Esses terminais são administrados pelas empresas de ônibus que operam o sistema. No total são oito terminais de integração, sendo que dois deles estão localizados em municípios da região metropolitana, sendo um no município de São Cristóvão e outro em Nossa Senhora do Socorro. Cerca de 100 linhas de ônibus compõem o sistema, na maioria integrada e cerca de 10 linhas que não são. A maioria das linhas levam tempo inferior à uma hora e meia para realizar a viagem completa, compreendendo percurso de ida e volta (sem considerar congestionamentos e bloqueios nas vias). Boa parte dos terminais possui estrutura física ultrapassada e ao longo dos anos receberam poucos investimentos do setor público. Boa parte desses terminais tem dificuldades em acomodar a frota e os passageiros que por eles circulam, principalmente nos horários de pico, congestionamentos para fazer o embarque e desembarque dos passageiros são cenas corriqueiras nos terminais Fernando Sávio (Centro), Distrito Industrial (DIA) e Terminal do Mercado. Além do problema de estrutura física, os terminais freqüentemente sofrem ações de vandalismo, invalidando qualquer melhoria feita pelo poder público.

Terminais de Integração:

Terminal Jornalista Fernando Sávio (Centro)

Data: Novembro/1989

Localização: Região Central de Aracaju

Empresa (grupo) que administra: Viação Progresso/Transporte Tropical/Viação Paraíso

Terminal Manoel Aguiar Menezes (Mercado)

Data: Janeiro/2000 (segunda versão)

Localização: Região Central de Aracaju

Empresa (grupo) que administra: Capital Transportes/Viação Modelo

Terminal Leonel Brizola é administrado pelas empresas: Progresso, Tropical e Paraíso.
Terminal Leonel Brizola é administrado pelas empresas: Progresso, Tropical e Paraíso.

Terminal Leonel Brizola (Rodoviária Nova)

Data: Julho/2007 (segunda versão)

Localização: Região oeste de Aracaju, anexo ao terminal rodoviário interestadual/intermunicipal.

Empresa (grupo) que administra: Viação Progresso/Transporte Tropical/Viação Paraíso

Terminal DIA
Terminal DIA é administrado pela Viação Atalaia.

Terminal Distrito Industrial de Aracaju (DIA)

Data: Abril/1987

Localização: Bairro de mesmo nome

Empresa (grupo) que administra: Viação Atalaia

Terminal Maracaju

Data: Abril/1987

Localização: Região norte de Aracaju, Bairro Santos Dumont

Empresa (grupo) que administra: Capital Transportes/Viação Modelo

Terminal Minervino Fontes (Zona Sul)

Data: Março/1990

Localização: Região sul de Aracaju (Orla de Atalaia)

Empresa (grupo) que administra: Viação Atalaia

Terminal Governador Albano Franco (Campus)

Localização: Anexo ao Campus da Universidade Federal de Sergipe em São Cristóvão

Empresa (grupo) que administra: Viação Progresso/Transporte Tropical/Viação Paraíso

Terminal Conjunto Marcos Freire

Localização: Rótula entre os Conjuntos Marcos Freire I e II em Nossa Senhora do Socorro

Empresa (grupo) que administra: Viação Atalaia

EMPRESAS OPERADORAS

6403_IMG_9527

Com a falta de licitação pública, três grupos exploram o sistema de transporte através de autorização da prefeitura, onde esses três grupos se desmembram em sete viações, que são elas:

Grupo Progresso: Viação Progresso (1985), Transporte Tropical (2004) e Auto Viação Paraíso (2014); Grupo Modelo: Viação Halley (1986), Viação Modelo (2008) e Capital Transportes (2014); Viação Atalaia (2013).

Com pouco mais de 550 veículos na frota, o sistema é composto em sua maioria por veículos tipo convencional, onde cerca de 15% da frota é composta por veículos tipo micro ou midi e os veículos articulados não chegam a 5%. Os carros equipados com elevadores representam cerca de 75% da frota. Com relação a idade dos veículos presentes no sistema, por volta de 50% possui idade inferior à cinco anos e em torno de 14% tem idade superior a 10 anos.

Frota com mais 10anos
Parte da frota de Aracaju tem mais de 10 anos em operação.

Como não há licitação que determine deveres e obrigações tanto do poder público quanto das empresas, não há uma padronização sobre que tipos de veículos que podem ser incorporados ao sistema, quantidade de portas, números de passageiros sentados por tipo de veículo, idade mínima para veículos semi-novos, itens de conforto para o usuário (ar-condicionado), entre outras coisas. Atualmente a frota é composta em sua totalidade por ônibus de motorização dianteira, ônibus esses que oferecem menos conforto ao passageiro, e que oferecem menores custos de operação as empresas. Existe tramitando na Câmara dos Deputados projeto de criação de um consorcio Metropolitano que irá gerenciar todo sistema, sendo esse consorcio liderado por Aracaju, e que só depois deste consorcio que se poderá fazer a licitação do transporte da região metropolitana de Aracaju.

Ônibus articulado do padrão BRT foi apresentado em Aracaju.
Ônibus articulado do padrão BRT foi apresentado em Aracaju.

Hoje o principal problema do Sistema Integrado de Transporte de Aracaju é a estrutura do sistema, investimentos reais nos terminais de integração com a reformulação da estrutura física de pelo menos 05 dos 08 existentes, melhoria das avenidas que servem de corredores de transporte, melhoria no tipo de frota e re-organização de diversas linhas que muitas vezes se sobrepõem ao trajeto de outras em cerca de 70% ou mais. Em termos de melhorias na estrutura do sistema, a prefeitura de Aracaju pretende implantar na cidade o BRT, mas até agora pouco se viu em obras para que o sistema de ônibus de transito rápido seja implantado.

Viação Atalaia é responsável pela frota mais nova da capital de Sergipe.
Viação Atalaia é responsável pela frota mais nova da capital de Sergipe.

Além dos problemas de infra-estrutura, região metropolitana de Aracaju como em qualquer outra também sofre bastante com as constantes ondas de assalto e arrastões nos coletivos e terminais do sistema, onde rodoviários estão fazendo coleção de boletins de ocorrência já que em muitos casos eles são assaltados mais de uma vez por dia. Em 2015, foram registrados mais de 1100 assaltos ao transporte coletivo na Grande Aracaju, com o registro de duas mortes em dois assaltos.

Viação Modelo pertence ao grupo cearense Fretcar.
Viação Modelo pertence ao grupo cearense Fretcar.

A tarifa atual é de R$ 3,10, a qual deve vigorar por todo o ano de 2016, considerada por muitos uma tarifa cara. No sistema a tarifa é única, independente do seu deslocamento como ocorrem em outras regiões a exemplo de Região Metropolitana do Recife que há quatro tipos de tarifas. Movimentos sociais estão tentando reverter o aumento da tarifa através do Veto Popular(previsto na Lei Orgânica do Município de Aracaju, aprovada em 2002), onde necessitarão de 20.000 assinaturas, para que possa ser apresentado à Câmara de Vereadores que deverá votá-lo na sessão seguinte e somente será rejeitado por maioria absoluta.

Texto: Silvanio Oliveira e Franca Neto

Agradecimentos: CFO-Sergipe

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s