IMG_5845

Com uma frota de quase 3000 ônibus, o transporte coletivo urbano de Salvador está longe do ideal. A população exige mais coletivos e mais conforto nos ônibus, porém será que o ideal realmente é se acrescentar ônibus a realidade vivida atualmente? O Urbaianos através deste artigo mostra o problema e traz uma possível solução para esta realidade.

 

SOBREPOSIÇÃO DE LINHAS

Quantas linhas passantes em seu bairro ou que tenham origem de localidades próximas, fazem o mesmo itinerário e tem o mesmo destino final? Quantos desses itinerários fazem voltas para chegar ao seu destino final? É uma realidade comum em várias macrorregiões da cidade. Isso ao contrário daquilo que pode ser imaginado, ajuda a “precarizar” o serviço de transporte público por ônibus em Salvador. Vamos a um exemplo prático?

Ônibus da Plataforma Transportes operando a linha 0321 Marechal Rondon / Barra
Ônibus da Plataforma Transportes operando a linha 0321 Marechal Rondon / Barra

A macrorregião do São Caetano engloba os bairros do São Caetano, Boa Vista do São Caetano, Capelinha do São Caetano, Fazenda Grande do Retiro, Alto do Peru, Bom Juá e Marechal Rondon. Desses bairros adjacentes partem seis linhas que vão para a Barra com 38 coletivos, dois para o Campo Grande com 7 coletivos, quatro para a Estação da Lapa com 18 coletivos , três para a Pituba com 26 coletivos, dois para o Engenho Velho da Federação com 17 coletivos, cinco para a Barroquinha com 17 coletivos, duas para Brotas com 21 coletivos, uma para Itapuã com 8 coletivos, uma para Pernambués com 2 coletivos, uma para Patamares com 2 coletivos e uma para a Ribeira com 4 coletivos, mobilizando 159 coletivos em roteiros muito parecidos entre si. Isso sem contabilizar os coletivos originários de outras regiões e que passam pela macrorregião do São Caetano.

fotoMOBILE: Ônibus da Plataforma Transportes rodando a linha 0336 São Caetano / Engenho Velho da Federação
fotoMOBILE: Ônibus da Plataforma Transportes rodando a linha 0336 São Caetano / Engenho Velho da Federação

Dos 38 coletivos que seguem em direção ao bairro da Barra, 26 realizam o mesmo roteiro e se sobrepõem a partir do Largo do Tanque. São linhas com partida da Fazenda Grande do Retiro, Bom Juá e Marechal Rondon e que passam pela Calçada, Comercio, Ladeira da Montanha, Rua Carlos Gomes, Campo Grande e Hospital Português para chegar finalmente ao bairro da Barra. Esses 26 coletivos citados se sobrepõem a 17 coletivos que tem como destino o Engenho Velho da Federação e cinco que tem como destino o Campo Grande (além de dois coletivos que tem o Campo Grande como destino e segue um roteiro diferente das outras), por que realizam o mesmo itinerário até a praça mais famosa da capital baiana. Então é possível se concluir que temos 48 ônibus indo de uma macrorregião a outra diariamente mas será que isso se reflete na qualidade do serviço?

 

Esse excedente de coletivos passando pela mesma região evidencia alguns problemas que irão impactar diretamente no dia a dia do passageiro e dos operadores do coletivo, que são a demora para se chegar ao destino final e o tempo que o coletivo leva para fazer uma viagem completa Ida/Volta. Com o aumento da frota de carros particulares em Salvador não é mais admissível que para se chegar a um destino o passageiro do transporte público seja obrigado a passar em muitos outros lugares.

Terminais de transbordo como o de Mussurunga e o de Pirajá são as melhores soluções para a nossa realidade.
Terminais de transbordo como o de Mussurunga e o de Pirajá são as melhores soluções para a nossa realidade.

A solução na nossa visão é muito simples e não seria preciso copiar nenhum projeto implementado em qualquer outra cidade do mundo, os Terminais de Ônibus de Pirajá e de Mussurunga são bons exemplos a serem expandidos.

 

Acreditamos que em cada macrorregião da cidade deveria ser instalado um terminal de ônibus no mesmo esquema de transbordo utilizado em Pirajá e Mussurunga, objetivando roteiros e distribuindo de maneira mais justa a frota. Nas próximas semanas contextualizaremos onde e como os terminais de ônibus poderiam ser implantados, como as demandas poderiam ser atendidas de maneira mais rápida e melhorar a relação do cidadão de Salvador com o transporte público.

 

Por Gênesis Freitas, estudante de jornalismo e pesquisador em transportes.
Anúncios

Um comentário em “Artigo: Sobreposição de linhas torna o transporte coletivo de Salvador ineficiente

  1. outros exemplos ocorrem na cidade baixa onde temos uma mesma linha, com duas numerações diferente e que percorrem o mesmo trajeto: a linha 0202 e 0218 Ribeira/ Pituba e a linha 0201 e 0204 Ribeira /Campo Grande. Dá pra entender?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s