Espaço Livre

Mudanças tiram 20 ônibus de Cajazeiras

Extinção de linhas, diminuição da frota em linhas diretas a Estação da Lapa e o reforço dos roteiros destinados a Estação Pirajá. Em um ano a dinâmica dos deslocamentos para quem reside nos bairros localizados em Cajazeiras tem sofrido constantes modificações. Quem chegava ao centro da cidade em um único ônibus, agora se vê levado a utilizar as integrações ofertadas pelo metrô e Salvador Card.

lapa

Uma das mais perceptíveis mudanças foi a diminuição da oferta de ônibus diretos a Estação da Lapa. Em 2016 eram 71 veículos, enquanto neste ano a oferta total é de 43 coletivos. Com isto a espera por um ônibus direto cresceu. A espera por uma dessas linhas pode ultrapassar 2 horas.

piraja

Se para a Estação da Lapa a frota foi diminuída, para a Estação Pirajá houve o reforço de aproximadamente 19 veículos. A principal ideia é deixar a integração ônibus / metrô mais atrativa, diminuindo a oferta de coletivos diretos ao centro.

img_5838

Com a ampliação da oferta de veículos para o Terminal de Pirajá, algumas linhas tiveram os intervalos entre coletivos encurtados. Cada linha recebeu de 1 a 3 veículos extras, enquanto algumas linhas diretas a Estação da Lapa tiveram a frota diminuída para até 1 veículo.

img_8031

Em meio a estas mudanças uma linha foi extinta, linhas com roteiros não concorrentes ou complementares ao metrô tiveram a frota diminuída enquanto outras foram reforçadas como o caso das linhas Pituba com partida do bairro de Boca da Mata e da Fazenda Grande 4.

img_8033

Levantamento feito pela equipe do Portal Transporte Em Debate, aponta que a frota total de ônibus em Cajazeiras sofreu o decréscimo de aproximadamente 20 ônibus. Em 2016 operavam 218 ônibus, enquanto em 2017 são 198 coletivos. Todos os dados levam em consideração a operação das linhas da região fora do período das férias escolares.

Confira aqui todos os dados do levantamento: relatorio

Anúncios
Visita

Mais que vizinhas, Juazeiro e Petrolina estreitam os laços entre a Bahia e Pernambuco

1

Localizadas as margens do Rio São Francisco, as cidades de Juazeiro (Bahia) e Petrolina (Pernambuco) guardam muitas características em comum. As localidades são atendidas por linhas de ônibus municipais, intermunicipais e interestaduais que se conectam o tempo inteiro. Juazeirenses e petrolinenses se transportam entre os municípios com a mesma facilidade encontrada entre bairros de uma metrópole.

O sistema de transporte coletivo municipal em Juazeiro é operado pelas empresas Joalina e Joafra, as linhas municipais de Petrolina são trabalhadas pela Joalina e Viva Petrolina, enquanto as intermunicipais e interestaduais urbanas com partida de Juazeiro são operadas pela Joafra. Entre os municípios é possível se atravessar o Rio São Francisco, utilizando os serviços das barcas.

3a

As linhas municipais se baseiam pelo centro, partindo de diferentes bairros e consequentemente seguindo diferentes roteiros, passando pelas suas principais áreas comerciais e de serviços administrativos. Para andar de ônibus em Juazeiro é preciso se desembolsar R$3,00; enquanto em Petrolina a passagem é de R$3,20 para quem paga no dinheiro e R$3,00 para os usuários do Bip (bilhete eletrônico do município).

4a

Quem não mora em Juazeiro e Petrolina e vai conhecer as cidades tem como maior dificuldade a falta de informações sobre os roteiros estabelecidos. Raros são os ônibus equipados com tabuletas com informações sobre o itinerário da linha operada. Saber de onde vem e para onde aquele coletivo vai, é um desafio muito grande.

6a

A falta de informações sobre o itinerário dos veículos é tão grande que nem os operadores sabem informar com exatidão, o ônibus correto para se chegar a um grande ponto de referência da cidade de Petrolina, o River Shopping, por exemplo.

DIFICULDADE ENCONTRADA E SUPERADA PELA TECNOLOGIA

Eram exatos 20h, quando a nossa equipe resolveu se deslocar da rodoviária de Petrolina ao principal centro de compras. Encontrar um ônibus que deixássemos próximos ao shopping não foi uma tarefa fácil. Consultávamos os moradores e ninguém sabia nos informar, procuramos consultar o motorista de um ônibus da empresa Viva Petrolina, que passava pela localidade, o mesmo não deu uma informação clara. O aplicativo Cittamobi nos levou até o ponto e embarcamos no coletivo correto.

SEM COBRADOR

7a

Todos os ônibus do sistema municipal de Petrolina operam com o motorista realizando as funções de cobrador. Como a circulação de dinheiro nos coletivos diminuiu, com os incentivos dados a utilização do cartão Bip, o motorista para poucas vezes para passar o troco. As linhas Juazeiro / Petrolina (interestadual) e Juazeiro / Sobradinho (intermunicipal) são operadas sem cobrador, enquanto as municipais de Juazeiro continuam tendo esta categoria profissional.

A FROTA

 

JOALINA

Operando nos sistemas municipais de Petrolina e Juazeiro, a frota utilizada pela empresa em Petrolina foi renovada em 2015. Mesmo assim é possível se considerar a frota utilizada no município pernambucano antiga, existem ônibus fabricados em 1995 em operação. Em Juazeiro a situação é um pouco pior com veículos datados antes de 1995.

JOAFRA

Responsável pela linha Juazeiro / Petrolina, a Joafra é também responsável pelas linhas municipais de Juazeiro e por alguns roteiros intermunicipais. Percebemos que existe um trabalho de renovação constante, apesar da maior parte da frota ser antiga. Em seu roteiro interestadual existem carros com alta depreciação e extremamente quentes. Andamos nos veículos que tiveram os aparelhos de ar-condicionado desativados, o calor gerado pela temperatura ambiente é piorado com a bancada empregada e com as janelas semi-seladas.

VIVA PETROLINA

Empresa responsável pelas linhas municipais em Petrolina, é a que tem a frota urbana mais nova da região. É possível encontrar alguns veículos oriundos de empresas fechadas em Salvador, como a Barramar e Capital, operando seus roteiros.

 

Serviço das barcas

barcas

Por R$1,50 é possível se atravessar o Rio São Francisco de barca em 8 minutos. O serviço é simplificado, rápido e ideal para quem quer chegar a uma das cidades, sendo uma alternativa a linha Juazeiro / Petrolina, operada pela empresa Joafra.

 

AS CIDADES

Localizadas a cerca de 502km de Salvador, a terra das carrancas, Juazeiro; e a cidade das frutas, Petrolina são muito mais que duas grandes cidades próximas. São essencialmente complementares. O que se encontra em Juazeiro não se encontra necessariamente em Petrolina e vice versa. Ambas carregam com honradez e coragem as principais marcas culturais de seus estados. Em Juazeiro pudemos ouvir um pouco de Afoxé, tocado em uma praça localizada nas proximidades de sua orla. Em Petrolina pudemos assistir a um grupo de músicos ensaiando as batidas do maracatu em plena orla marítima da cidade. Tudo isso ocorrendo ao mesmo tempo, ao passo da travessia das barcas.

Gênesis Freitas

Espaço Livre

Artigo: Sobreposição de linhas torna o transporte coletivo de Salvador ineficiente

IMG_5845

Com uma frota de quase 3000 ônibus, o transporte coletivo urbano de Salvador está longe do ideal. A população exige mais coletivos e mais conforto nos ônibus, porém será que o ideal realmente é se acrescentar ônibus a realidade vivida atualmente? O Urbaianos através deste artigo mostra o problema e traz uma possível solução para esta realidade.

 

SOBREPOSIÇÃO DE LINHAS

Quantas linhas passantes em seu bairro ou que tenham origem de localidades próximas, fazem o mesmo itinerário e tem o mesmo destino final? Quantos desses itinerários fazem voltas para chegar ao seu destino final? É uma realidade comum em várias macrorregiões da cidade. Isso ao contrário daquilo que pode ser imaginado, ajuda a “precarizar” o serviço de transporte público por ônibus em Salvador. Vamos a um exemplo prático?

Ônibus da Plataforma Transportes operando a linha 0321 Marechal Rondon / Barra
Ônibus da Plataforma Transportes operando a linha 0321 Marechal Rondon / Barra

A macrorregião do São Caetano engloba os bairros do São Caetano, Boa Vista do São Caetano, Capelinha do São Caetano, Fazenda Grande do Retiro, Alto do Peru, Bom Juá e Marechal Rondon. Desses bairros adjacentes partem seis linhas que vão para a Barra com 38 coletivos, dois para o Campo Grande com 7 coletivos, quatro para a Estação da Lapa com 18 coletivos , três para a Pituba com 26 coletivos, dois para o Engenho Velho da Federação com 17 coletivos, cinco para a Barroquinha com 17 coletivos, duas para Brotas com 21 coletivos, uma para Itapuã com 8 coletivos, uma para Pernambués com 2 coletivos, uma para Patamares com 2 coletivos e uma para a Ribeira com 4 coletivos, mobilizando 159 coletivos em roteiros muito parecidos entre si. Isso sem contabilizar os coletivos originários de outras regiões e que passam pela macrorregião do São Caetano.

fotoMOBILE: Ônibus da Plataforma Transportes rodando a linha 0336 São Caetano / Engenho Velho da Federação
fotoMOBILE: Ônibus da Plataforma Transportes rodando a linha 0336 São Caetano / Engenho Velho da Federação

Dos 38 coletivos que seguem em direção ao bairro da Barra, 26 realizam o mesmo roteiro e se sobrepõem a partir do Largo do Tanque. São linhas com partida da Fazenda Grande do Retiro, Bom Juá e Marechal Rondon e que passam pela Calçada, Comercio, Ladeira da Montanha, Rua Carlos Gomes, Campo Grande e Hospital Português para chegar finalmente ao bairro da Barra. Esses 26 coletivos citados se sobrepõem a 17 coletivos que tem como destino o Engenho Velho da Federação e cinco que tem como destino o Campo Grande (além de dois coletivos que tem o Campo Grande como destino e segue um roteiro diferente das outras), por que realizam o mesmo itinerário até a praça mais famosa da capital baiana. Então é possível se concluir que temos 48 ônibus indo de uma macrorregião a outra diariamente mas será que isso se reflete na qualidade do serviço?

 

Esse excedente de coletivos passando pela mesma região evidencia alguns problemas que irão impactar diretamente no dia a dia do passageiro e dos operadores do coletivo, que são a demora para se chegar ao destino final e o tempo que o coletivo leva para fazer uma viagem completa Ida/Volta. Com o aumento da frota de carros particulares em Salvador não é mais admissível que para se chegar a um destino o passageiro do transporte público seja obrigado a passar em muitos outros lugares.

Terminais de transbordo como o de Mussurunga e o de Pirajá são as melhores soluções para a nossa realidade.
Terminais de transbordo como o de Mussurunga e o de Pirajá são as melhores soluções para a nossa realidade.

A solução na nossa visão é muito simples e não seria preciso copiar nenhum projeto implementado em qualquer outra cidade do mundo, os Terminais de Ônibus de Pirajá e de Mussurunga são bons exemplos a serem expandidos.

 

Acreditamos que em cada macrorregião da cidade deveria ser instalado um terminal de ônibus no mesmo esquema de transbordo utilizado em Pirajá e Mussurunga, objetivando roteiros e distribuindo de maneira mais justa a frota. Nas próximas semanas contextualizaremos onde e como os terminais de ônibus poderiam ser implantados, como as demandas poderiam ser atendidas de maneira mais rápida e melhorar a relação do cidadão de Salvador com o transporte público.

 

Por Gênesis Freitas, estudante de jornalismo e pesquisador em transportes.
Notícias

Ampliada e Reformada nova Estação Pirajá proporciona conforto para seus usuários

Terminal de Integração Ônibus/Matrô Pirajá Foto: Elói Corrêa/GOVBA
Terminal de Integração Ônibus/Metrô Pirajá
Foto: Elói Corrêa/GOVBA

O segundo maior terminal de ônibus de Salvador, a Estação Pirajá foi entregue completamente reformada, ampliada e integrada com o metrô, na manhã da quinta-feira de carnaval (04/02). O governador do estado Rui Costa e o presidente da CCR Metrô Bahia, Luís Valença participaram do evento inaugural.

Durante visita ao local, Rui Costa afirmou que está empenhado em promover a integração dos ônibus que chegam à estação Pirajá com o Metrô de Salvador. Na opinião do governador, o investimento realizado só faz sentido se houver a integração tão desejada pelos passageiros. “Hoje, estamos oficialmente fazendo a entrega deste terminal de Pirajá para a população, que vai funcionar integrado com a estação do metrô. Estamos negociando – o Governo do Estado, a CCR e as empresas de ônibus -, o acordo final”.

IMG_5838

Sob a administração do Governo do Estado desde 2014, o terminal recebeu investimentos na ordem de 22 milhões de reais, atende 130 mil passageiros/dia. O Terminal Pirajá atende principalmente às pessoas que moram nos bairros como Pirajá, Calabetão, Castelo Branco, Jardim Santo Inácio, Sete de Abril, Vila Canária, Dom Avelar, Águas Claras e Cajazeiras.

O presidente da CCR, Luís Valença, explicou que “no contrato de concessão firmado no final de 2013 existe a obrigação de, além construir as Linhas 1 e 2 [do Metrô], ampliar e reformar os terminais que já existiam”. Segundo ele, o terminal foi ampliado em 11 mil metros quadrados e teve todas as plataformas reformadas. “Hoje, contamos com 32 novas baias. Faziam parte da nossa obrigação, que está cumprida e entregue ao Governo da Bahia”.

Com informações da Secom/BA

Espaço Livre

Cinco empresas atendem o sistema integrado de Aracaju

11863368_819468971481778_4691890611047283372_nPrestes a completar 30 anos de criação o SIT – Sistema Integrado de Transporte é 100% conectado, abrangendo uma área de 181.857 km² (IBGE 2015), englobando também os municípios da Região Metropolitana de Aracaju (Lei Complementar Nº 25, De 29 de Dezembro de 1995), os quais são eles: São Cristóvão com 86.979 habitantes, Nossa Senhora do Socorro com 177.344 habitantes e Barra dos Coqueiros com 28.677 habitantes (Dados IBGE 2015).

100_0943

Em Aracaju, o ônibus é o principal meio de transporte público utilizado por seus habitantes, mais de 600 mil numa das menores capitais do nordeste. Além do transporte público feito por ônibus, a cidade possui o serviço de táxi lotação, que representa um pequeno percentual se comparado a todo o sistema integrado de transporte coletivo da cidade e região metropolitana. Ainda como transporte público da região metropolitana, existe a locomoção por barco, que liga a cidade de Aracaju à Barra dos Coqueiros e vice versa, transporte popularmente conhecido como Tototó, que perdeu força no ano de 2006, quando foi inaugurada em setembro do mesmo ano a Ponte Construtor João Alves Filho, responsável por ligar Aracaju à Barra dos Coqueiros, assim o transporte de passageiros passou a ser realizado também por ônibus. Em 2007, o sistema integrado de transporte público coletivo de Aracaju passou a integrar uma nova cidade, a Barra dos Coqueiros, o qual já contemplava na época as cidade de Nossa Senhora do Socorro e São Cristóvão.

No ano de 2014 a frota de Aracaju passou por uma maciça renovação.
No ano de 2014 a frota de Aracaju passou por uma maciça renovação.

A integração do sistema é feita através de terminais, onde os passageiros podem descer de um coletivo e pegar qualquer outro sem a necessidade do pagamento de nova tarifa. Esses terminais são administrados pelas empresas de ônibus que operam o sistema. No total são oito terminais de integração, sendo que dois deles estão localizados em municípios da região metropolitana, sendo um no município de São Cristóvão e outro em Nossa Senhora do Socorro. Cerca de 100 linhas de ônibus compõem o sistema, na maioria integrada e cerca de 10 linhas que não são. A maioria das linhas levam tempo inferior à uma hora e meia para realizar a viagem completa, compreendendo percurso de ida e volta (sem considerar congestionamentos e bloqueios nas vias). Boa parte dos terminais possui estrutura física ultrapassada e ao longo dos anos receberam poucos investimentos do setor público. Boa parte desses terminais tem dificuldades em acomodar a frota e os passageiros que por eles circulam, principalmente nos horários de pico, congestionamentos para fazer o embarque e desembarque dos passageiros são cenas corriqueiras nos terminais Fernando Sávio (Centro), Distrito Industrial (DIA) e Terminal do Mercado. Além do problema de estrutura física, os terminais freqüentemente sofrem ações de vandalismo, invalidando qualquer melhoria feita pelo poder público.

Terminais de Integração:

Terminal Jornalista Fernando Sávio (Centro)

Data: Novembro/1989

Localização: Região Central de Aracaju

Empresa (grupo) que administra: Viação Progresso/Transporte Tropical/Viação Paraíso

Terminal Manoel Aguiar Menezes (Mercado)

Data: Janeiro/2000 (segunda versão)

Localização: Região Central de Aracaju

Empresa (grupo) que administra: Capital Transportes/Viação Modelo

Terminal Leonel Brizola é administrado pelas empresas: Progresso, Tropical e Paraíso.
Terminal Leonel Brizola é administrado pelas empresas: Progresso, Tropical e Paraíso.

Terminal Leonel Brizola (Rodoviária Nova)

Data: Julho/2007 (segunda versão)

Localização: Região oeste de Aracaju, anexo ao terminal rodoviário interestadual/intermunicipal.

Empresa (grupo) que administra: Viação Progresso/Transporte Tropical/Viação Paraíso

Terminal DIA
Terminal DIA é administrado pela Viação Atalaia.

Terminal Distrito Industrial de Aracaju (DIA)

Data: Abril/1987

Localização: Bairro de mesmo nome

Empresa (grupo) que administra: Viação Atalaia

Terminal Maracaju

Data: Abril/1987

Localização: Região norte de Aracaju, Bairro Santos Dumont

Empresa (grupo) que administra: Capital Transportes/Viação Modelo

Terminal Minervino Fontes (Zona Sul)

Data: Março/1990

Localização: Região sul de Aracaju (Orla de Atalaia)

Empresa (grupo) que administra: Viação Atalaia

Terminal Governador Albano Franco (Campus)

Localização: Anexo ao Campus da Universidade Federal de Sergipe em São Cristóvão

Empresa (grupo) que administra: Viação Progresso/Transporte Tropical/Viação Paraíso

Terminal Conjunto Marcos Freire

Localização: Rótula entre os Conjuntos Marcos Freire I e II em Nossa Senhora do Socorro

Empresa (grupo) que administra: Viação Atalaia

EMPRESAS OPERADORAS

6403_IMG_9527

Com a falta de licitação pública, três grupos exploram o sistema de transporte através de autorização da prefeitura, onde esses três grupos se desmembram em sete viações, que são elas:

Grupo Progresso: Viação Progresso (1985), Transporte Tropical (2004) e Auto Viação Paraíso (2014); Grupo Modelo: Viação Halley (1986), Viação Modelo (2008) e Capital Transportes (2014); Viação Atalaia (2013).

Com pouco mais de 550 veículos na frota, o sistema é composto em sua maioria por veículos tipo convencional, onde cerca de 15% da frota é composta por veículos tipo micro ou midi e os veículos articulados não chegam a 5%. Os carros equipados com elevadores representam cerca de 75% da frota. Com relação a idade dos veículos presentes no sistema, por volta de 50% possui idade inferior à cinco anos e em torno de 14% tem idade superior a 10 anos.

Frota com mais 10anos
Parte da frota de Aracaju tem mais de 10 anos em operação.

Como não há licitação que determine deveres e obrigações tanto do poder público quanto das empresas, não há uma padronização sobre que tipos de veículos que podem ser incorporados ao sistema, quantidade de portas, números de passageiros sentados por tipo de veículo, idade mínima para veículos semi-novos, itens de conforto para o usuário (ar-condicionado), entre outras coisas. Atualmente a frota é composta em sua totalidade por ônibus de motorização dianteira, ônibus esses que oferecem menos conforto ao passageiro, e que oferecem menores custos de operação as empresas. Existe tramitando na Câmara dos Deputados projeto de criação de um consorcio Metropolitano que irá gerenciar todo sistema, sendo esse consorcio liderado por Aracaju, e que só depois deste consorcio que se poderá fazer a licitação do transporte da região metropolitana de Aracaju.

Ônibus articulado do padrão BRT foi apresentado em Aracaju.
Ônibus articulado do padrão BRT foi apresentado em Aracaju.

Hoje o principal problema do Sistema Integrado de Transporte de Aracaju é a estrutura do sistema, investimentos reais nos terminais de integração com a reformulação da estrutura física de pelo menos 05 dos 08 existentes, melhoria das avenidas que servem de corredores de transporte, melhoria no tipo de frota e re-organização de diversas linhas que muitas vezes se sobrepõem ao trajeto de outras em cerca de 70% ou mais. Em termos de melhorias na estrutura do sistema, a prefeitura de Aracaju pretende implantar na cidade o BRT, mas até agora pouco se viu em obras para que o sistema de ônibus de transito rápido seja implantado.

Viação Atalaia é responsável pela frota mais nova da capital de Sergipe.
Viação Atalaia é responsável pela frota mais nova da capital de Sergipe.

Além dos problemas de infra-estrutura, região metropolitana de Aracaju como em qualquer outra também sofre bastante com as constantes ondas de assalto e arrastões nos coletivos e terminais do sistema, onde rodoviários estão fazendo coleção de boletins de ocorrência já que em muitos casos eles são assaltados mais de uma vez por dia. Em 2015, foram registrados mais de 1100 assaltos ao transporte coletivo na Grande Aracaju, com o registro de duas mortes em dois assaltos.

Viação Modelo pertence ao grupo cearense Fretcar.
Viação Modelo pertence ao grupo cearense Fretcar.

A tarifa atual é de R$ 3,10, a qual deve vigorar por todo o ano de 2016, considerada por muitos uma tarifa cara. No sistema a tarifa é única, independente do seu deslocamento como ocorrem em outras regiões a exemplo de Região Metropolitana do Recife que há quatro tipos de tarifas. Movimentos sociais estão tentando reverter o aumento da tarifa através do Veto Popular(previsto na Lei Orgânica do Município de Aracaju, aprovada em 2002), onde necessitarão de 20.000 assinaturas, para que possa ser apresentado à Câmara de Vereadores que deverá votá-lo na sessão seguinte e somente será rejeitado por maioria absoluta.

Texto: Silvanio Oliveira e Franca Neto

Agradecimentos: CFO-Sergipe

Notícias

Integração com o metrô e nova tarifa ocorrerão no primeiro dia útil de 2016

IMG_3411

O primeiro dia útil de 2016 será marcado pelo reajuste da passagem de ônibus em 10%, elevando a tarifa para 3,30 e o início da operação comercial do metrô de Salvador. Com isto 10 linhas de ônibus da capital baiana e outras 3 da região metropolitana, terão seus roteiros modificados e passarão a alimentar o sistema metroviário da linha 1. O passageiro que embarcar em um dos ônibus das 13 linhas que integrarão com o metrô, terão acesso gratuito aos vagões do sistema. Enquanto isso quem for acessar as estações de metrô a pé, terão de desembolsar o valor da tarifa de ônibus vigente para ter acesso ao sistema.

A Linha 1 do Metrô de Salvador parte da Estação da Lapa tem como destino a Estação Pirajá e realiza paradas por estações espalhadas pelo seu trajeto como as localizadas no Campo da Pólvora, Brotas, Bonocô, Acesso Norte, Retiro e Bom Juá. O trajeto entre as Estações Bom Juá e Pirajá está ocorrendo em caráter experimental, funcionando das 11 as 14horas de segunda a sexta; no sábado o seu funcionamento ocorre das 8 as 14horas. As outras estações do serviço funcionam das 06 as 22horas.

Com a ESTAÇÃO RETIRO, integrarão as linhas: 0322 Marechal Rondon / Lapa, 0305 Bom Juá / Lapa e 0301 Alto do Peru / Barroquinha do sistema de transporte coletivo de Salvador. Lá estarão presentes também 3 linhas da região metropolitana com partida de localidades do município de Simões Filho e de Areia Branca em Lauro de Freitas.

Na ESTAÇÃO ACESSO NORTE, integrarão as linhas 0919 Vale dos Rios – STIEP / Lapa, 1108 Resgate / Lapa e 1113 Pernambués / Lapa.

Na ESTAÇÃO DA LAPA, esta integração direta ocorrerá com as linhas 0137 (LB1) Lapa / Chame-Chame, 0138 (LB2) Lapa / Barra – Avenida e 0139 (LB3) Lapa / Garibaldi – Ondina.

Notícias

Assaltos a ônibus são frequentes em Salvador

IMG_4079

O medo é uma constante para os usuários do transporte público em Salvador, e aqueles que utilizam ônibus executivos se preocupam ainda mais com a segurança, tudo por que as linhas operadas por micro-ônibus equipados com ar-condicionado, são os maiores alvos de bandidos. Normalmente quem utiliza esses veículos são pessoas com maior poder aquisitivo e que andam portando equipamentos eletrônicos de alto valor como smartphones, notebooks e tablets.

 

Uma das características comuns de assaltantes de ônibus executivo é a boa aparência. “Não aparentava ser bandido. Estava de calça jeans e camisa pólo. Ninguém realmente imaginou que ele iria assaltar. Ele pegou o ônibus junto com outro senhor que também foi assaltado. Pagou passagem, sentou, como se fosse passageiro”, contou-nos Bianca Rocha, estudante que foi vítima desta modalidade de assalto na noite da última quinta-feira (7/10).

 

“Mostrou a arma e pediu que eu passasse o aparelho. Ainda queria dinheiro. Tinha 20 reais na bolsa e entreguei a ele”, relatou Bianca. No ônibus haviam 5 passageiros, 4 tiveram pertences levados e 1 passageiro ao perceber a ação conseguiu escapar do saque no coletivo ao esconder seus aparelhos. Do caixa do motorista foi levado todo o dinheiro e o desabafo de quem convive diariamente com a insegurança “Em dois meses nesta linha este é o quarto assalto que sofro”.

 

Depois do saquear os passageiros e o motorista do coletivo que fazia a linha Shopping Paralela / Praça da Sé, o ladrão agradeceu ao condutor do micro-ônibus “estava exercendo a minha função de trabalhador.”

Novidades

Lis Transportes e Turismo chega no segmento metropolitano

IMG_7157Tradicional empresa do ramo de fretamento de pessoal e turismo, a Lis Transportes e Turismo agora chega no transporte metropolitano de Salvador. Informações extraoficiais dão conta de que a empresa tenha adquirido as linhas da Linha Verde, conhecida por transportar soteropolitanos até as badaladas praias e localidades do litoral norte baiano.

Um dos ônibus da sergipana Bomfim que foram incorporadas a Lis.
Um dos ônibus da sergipana Bomfim que foram incorporadas a Lis.

Durante o São João, puderam ser vistos vários ônibus da empresa a Serviço da Linha Verde, para isto foram incorporados a Lis, parte dos ônibus parados pela empresa sergipana Bomfim, fechada em 2014.

IMG_7154

A Lis chega no segmento metropolitano surpreendo os baianos com os novos ônibus adquiridos, William Francisco flagrou em Curitiba pelo menos 5 unidades, de uma configuração inédita no país, na estrada com destino a Salvador. São os primeiros ônibus com chassi Iveco S170 da Bahia, depois do fechamento da Barramar e são os primeiros GranVia 2014 do estado.

IMG_7134

O chassi S170 da Iveco é uma novidade no mercado de ônibus brasileiro, possui motorização de 6 cilindros com 280 cavalos de potência. Já a carroceria Mascarello GranVia 2014, é considerada a mais larga do mercado, ampliando a capacidade de transportar passageiros em pé.

Urbaianos

Protesto consciente não depreda o transporte público

IMG_0973Protesto consciente não depreda e nem incendeia o bem público, o ônibus um dos maiores alvos dos manifestantes transportam milhares de passageiros e presta o serviços diretos as comunidades abastadas. Danifica-los significa espalhar o medo entre os operadores (motoristas, cobradores e despachantes), causar prejuízos as empresas de ônibus e diminuir a qualidade dos serviços prestados para o bairro já que nem sempre é possível substituir um ônibus destruído por outro.

Todo ato de vandalismo causa prejuízos especialmente para a própria população.

Arquivo

Operação Praia: Joevanza operou linha com partida do Arenoso e destino Itapuã

 

IMG_0413

 

Nos tempos de forte calor as praias de Salvador se tornam a melhor opção de lazer para quem aqui vive. Para atender essa demanda que aumenta durante os domingos e feriados do período de Primavera e Verão, a prefeitura, a pelo menos 3 décadas disponibiliza o serviço de linhas especiais praia que partem de bairros periféricos para as mais badaladas praias do litoral de Salvador, como o caso de Itapuã e Piatã.

A Empresa Joevanza Tranportes, por exemplo, operou durante alguns verões a linha P050 Arenoso / Itapuã.